Medo de fogos de artifício… O que fazer?

O barulho dos fogos de artifício são estridentes e podem assustar muito os cães, pois eles tem os ouvidos mais sensíveis que os dos humanos.

O ideal é que os cães se acostumem com  o  barulho dos fogos de artifício enquanto ainda filhotes, pois assim eles não desenvolverão o medo quando se virem nesta situação.

DICA:

No momento que o animal se assustar com os fogos, o tutor deve agir com naturalidade, não dando colo ao animal e nem falando com ele como se ele fosse uma vítima, um “coitadinho”. Porque agindo assim o animal irá pensar que ele realmente está correndo algum perigo e que sempre precisará do dono por perto quando se encontrar nesta situação.

Se toda vez que ouvir os sons dos fogos o tutor agir naturalmente e mostrar que é uma situação tranquila, o animal irá se acostumar e não desenvolverá o pânico. O dono pode festejar, bater palmas, jogar uma bolinha ou dar um petisco para mostrar para o cão que está tudo bem.

Porém, se o animal for adulto e já tiver desenvolvido o medo dos fogos de artifício, provavelmente não será possível reverter a situação, apenas amenizá-la.

O pet que tem pânico de fogos de artifício deve estar sempre sob cuidados do dono, pois a principal reação de qualquer cachorro é correr e fugir diante do estresse causado pelos foguetes.

Portanto o tutor deve assegurar de que todas as portas e janelas estejam protegidas e que o animal não consiga passar por elas. Além disso, é importante que o cachorro sempre esteja usando uma coleira com identificação para que, caso ele tenha algum surto pelo estresse e fuja, ele seja identificado e devolvido ao seu dono. 

Caso o dono tenha que sair e deixar o animal sozinho em casa, o ideal é que deixe-o em algum quarto fechado e escuro. Sim, pode parecer uma opção ruim, porém os animais se comportam diferentes dos humanos, e em casos de estresse eles se sentem mais protegidos em locais fechados e escuros, onde conseguem se esconder.

Se possível, coloque-o em um local que ele já seja acostumado, com objetos que ele tenha familiaridade, como a cama em que ele dorme, ou prenda-o em algum local que tenha o cheiro do dono, como o quarto. Porque assim ele se sentirá seguro.

Nunca deixe o animal em locais abertos, como no jardim, pois o barulhos dos fogos será maior e ele se sentirá abandonado e desprotegido.

ATENÇÃO:

Se o pânico do cão estiver muito desenvolvido e nenhuma das ações paliativas descritas acima tenham amenizado, o tutor deve procurar um médico veterinário, e provavelmente será receitado um medicamento para controle da ansiedade no animal.

Gostou da #dicadaracoesrabelo ?
Qualquer dúvida, entre em contato conosco. ⤵️

📞(31)3417-4848
📲(31)9.7145-6315
💻www.RacoesRabelo.com.br
📍Rua Dr. David Rabelo, 749 – Alípio de Melo, BH/ MG